Confusão

Tudo o que sinto não sinto, tudo o que faço não faço, tudo o que digo não digo e tudo o que quero não quero. É uma confusão não é? É a confusão que tenho em mim, é o quão vago eu ando, o quão estranho eu ando. Não sei se me vir para a esquerda ou se dê uns passos para a direita, não sei se siga em frente ou se fique retido lá atrás.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Poema (Até te ter)

Dia a Dia #1

Não te Vejo como alguém de jeito